21/01/2018

Traição | ferida da infância

Tudo o que uma criança precisa é ser acolhida. 

Tudo o que a criança necessita é ser aceita. 

Tudo o que a criança quer é ser tratada como alguém que está chegando num mundo ‘pronto’, e ainda não sabe qual é o ‘seu lugar’.

Roupa, brinquedo e a tralha toda de quinquilharia é coisa de adulto. Ser tratada como ‘princesa’ ou como ‘campeão’, por exemplo, não quer dizer absolutamente nada pra ela. Esse modo de lidar com a criança têm a ver, isto sim, com desarranjos de gente grande que transfere pra ela suas carências e seus sonhos. 

O fato é que ser acolhida é muito mais do que receber casa, comida, presente... Ser acolhida é ser considerada, tratada e aceita como criança. É ser atendida em sua necessidade real. Caso isto não aconteça, o que ela desenvolve é um sentimento de traição. 

É possível que toda criança sofra e/ou sinta vários tipos de traição nos primeiros anos de vida. Mas quando elas são intensas e recorrentes, quando são muitas as decepções cotidianas, a criança traduz esse comportamento do adulto como manifestação de desamor. 

Ou seja, se o adulto promete e não cumpre, se diz que vai fazer e não faz, se mente para a criança, pode acontecer dela desenvolver algo como desconfiança e, pior ainda, o sentimento de que ela não merece o que lhe foi prometido. Daí para a inveja é um passo, já que a experiência de não ter sido atendida pode levá-la a não se sentir digna de ter o que os outros têm. 

Vivenciar muitas situações de desamor pode levar a pessoa adulta a querer controlar tudo e todos à sua volta, tentando evitar, como no passado, ser esquecida e injustiçada. Ela desenvolve um permanente e constante medo de ser traída no decorrer da vida.

O sofrimento causado pela traição é uma ferida bem difícil de tratar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário