23/11/2019

AnarcoEconomia – Alimentação e economia disruptivas

Nesse encontro, vamos desenvolver a conexão entre uma racionalidade ancestral e as escolhas cotidianas de consumo. O que se pode fazer e qual é o limite da política do que comemos. O Instituto Feira Livre é uma experiência que tem quase 2 anos de vida. Neste encontro trataremos das múltiplas cadeias que atingimos com essa experiência e quanto isso pode interferir no cotidiano das pessoas, a partir de afetos políticos. 

Discutiremos: o estado atual da produção sem agrotóxicos no Brasil a partir da comercialização; o que move as pessoas a consumir alimentos sem agrotóxicos?; a pesquisa do Instituto Kairós; as experiências de uma pequena rede: Instituto Feira Livre, Instituto Chão, Instituto Baru e Armazém do Campo, o que têm em comum?; a comercialização na história de indígenas e quilombolas; para além do consumo, práticas comunitárias, disruptivas e de resistência na cidade.

Acesse a página do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário