19/12/2019

CUIDAR, EDUCAR E CONVIVER COM A CRIANÇA DE 0 A 6 ANOS

justificativa

Tão importante quanto a prática de quem atua profissionalmente com crianças de 0 a 6 anos, é conhecer e discutir ideias e propostas de pesquisadores que estudam e propõem ações que efetivamente contribuam para o desenvolvimento saudável da criança.

O período que vai da gestação até os 3 anos de vida [primeiríssima infância] tem a ver, sobretudo, com justiça social. Se os seus direitos [ONU, 1959 e ECA, 1980], são garantidos também nessa fase, toda a sociedade se beneficia, como atestam os pesquisadores abordados no decorrer do curso e, mais recentemente, o Center on the Developing Child (CDC), da Universidade de Harvard. Vale dizer: as experiências no início da vida afetam a formação do cérebro e toda a vida da criança.

Compreender a primeira infância [4 a 6 anos] e prestar atenção nas palavras que, em geral, os adultos dirigem à elas igualmente contribui significativa e positivamente para o seu crescimento saudável. Observar, rever e repensar, tecendo considerações sobre a linguagem empregada pelos adultos no contato direto com a criança nessa fase da vida, portanto, mais que importante é uma necessidade.

objetivos

• Contribuir para a formação teórica dos profissionais que atuam com crianças na primeira infância
• Apresentar modalidades atuais de atenção à criança pequena, inclusive em outras culturas
• Discutir abordagens de pesquisadores sobre o tema
• Tecer considerações a propósito das relações humanas, em particular no âmbito da escola, mediadas pela linguagem oral com crianças na primeira infância

conteúdos

• Modalidades atuais de atenção à criança pequena no Brasil e em outros países
• Importância do ambiente acolhedor, promotor de segurança, saúde e conforto aliando cuidado e educação, que respeita as necessidades de cada criança e possibilita a adaptação e o amadurecimento individual
• O cuidado ou ato de pensar e planejar a educação para o desenvolvimento pleno da criança
• Diferentes formas de desenvolvimento da expressão de crianças de 0 a 6 anos.

módulo 1 – primeiríssima infância [0 a 3] – duração: 12 horas

• Estresse Infantil : experiências no início da vida afetam a formação do cérebro e toda a vida da criança
• Outros modos de atenção à criança pequena: diferentes concepções de criança evidenciam modos diferentes de lidar com ela
• O que é ser “boa mãe”? - importância do ambiente que acolhe e promove segurança, saúde, conforto, respeita as necessidades da criança e possibilita a adaptação e o amadurecimento individual

módulo 2 – primeira infância [4 a 6] – duração: 12 horas

• Usos da palavra: considerações sobre o período em que a criança ainda não entende com clareza o que os adultos dizem, não sabe o que falar e nem como se comportar, não compreende como as coisas funcionam ou, pelo menos, não do jeito que, em geral, os adultos querem e/ou acham que ela entende e/ou deve entender.

metodologia

• aulas expositivas e dialogadas; problematização da prática

responsável

    • Donizete Soares

Professor de filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora Medianeira [1979]; especialização em Filosofia das Ciências Humanas pela PUC/SP [1984]; diretor de Escola de Educação Infantil [antigo berçário, maternal, jardim e pré]; professor do ensino fundamental, médio [filosofia, história, sociologia, psicologia]; professor de curso superior de filosofia [história, teoria do conhecimento, ética] e de pedagogia [filosofia, história, psicologia e sociologia da educação]; professor de cursos livres [várias disciplinas] desde 1979; autor de livros e artigos sobre Educação, Comunicação, Educomunicação e Filosofia: “Educomunicação – o que é isto”, “Meios de Comunicação”, “Ideias Libertárias”, “Pra discutir – e gerar boas conversas por aí”, “Feridas da Infância”, entre outros; responsável por vários projetos de Educomunicação nos municípios de São Paulo, Sorocaba, Vargem Grande Paulista, Atibaia, Parati, entre outros; coordenador de várias atividades culturais para adolescentes, jovens e idosos em unidades do Sesc São Paulo, inclusive o CPF - Centro de Pesquisa e Formação e ONG's no território nacional; professor em vários curso de Formação de Educadores do SindSep São Paulo; co-fundador e co-responsável pelo INSTITUTO GENS de Educação e Cultura, desde 1988.


bibliografia

ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara, 1978.
Center on the Developing Child (CDC), Universidade de Harvard; Cambridge, Massachusetts : http://developingchild.harvard.edu/
DEL PRIORE, M. História da criança no Brasil. São Paulo: Contexto, 1995.
GARDNER, H. Estruturas da Mente - A Teoria das Inteligências Múltiplas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
JUNG, C.G. O Homem e seus Símbolos. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1964.
KUHLMANN JR, M. Infância e Educação Infantil. Porto Alegre: Mediação, 1998.
MAQUIEIRA, Lidia Suzana. O desenvolvimento emocional na primeira infância. São Paulo:Scipione, 2012.
PIAGET, J. Problemas de Epistemologia Genética. In: Piaget/Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978, p. 211-271. São Paulo (SP).
REICH, Wilhelm. Children of the Future: On the prevention of sexual pathology. New York: Farrar, Straus and Giroux, 1987.
VYGOTSKY, L.S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
WINNICOTT, D. W. Os bebês e suas mães. São Paulo:Martins Fontes.
________________ A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan

Nenhum comentário:

Postar um comentário